A bagunça que a gente fez



A porta do quarto bateu forte. Essa não é a primeira vez que ouço o som da sua raiva e da soleira rangendo. Você sempre insiste em estar certo em tudo e como eu odeio brigas, peço desculpas mesmo sabendo que o erro não é meu. Sei que nisso estou errada, mas prefiro evitar confusão e não ouvir de você a combinação de palavras que faltam para eu te deixar de vez.

Você entra para o quarto depois de despejar palavras que no final do dia não irão fazer diferença no nosso relacionamento. Ambos sabemos que pertencemos um ao outro e no final da noite você se aninhará no meu peito, pedindo desculpas baixinho e dizendo que o trabalho está difícil a cada dia. Eu vou te puxar para perto, jogar a coberta que você insistiu em não dividir comigo no chão e te cobrir com a minha. Eu sei que você prefere ela. E assim terminaremos a noite, do mesmo jeito que semana passada.

Nossas brigas têm sido constantes. O nosso casamento se transformou no caos que tínhamos certeza que não aconteceria. Certeza falsa porque, no fundo, a gente já esperava por momentos assim. Sempre te falei que tudo que vivemos no nosso tempo de namoro se refletiria no nosso matrimônio. Você insistia em dizer que as coisas seriam diferentes. Seria mais paciente e eu cobraria menos de você.

Ambos estamos enganados. Ambos erramos. Não tem um só culpado nessa história. Nunca teve, sabia?  A culpa foi da nossa inocência, da esperança de que tudo se encaixaria sozinho. Foi da falta de tempo e vontade de concertar quando ainda era tempo. Foi das palavras engolidas a seco e dos gritos impulsivos e avassaladores. Telefonemas inacabados por motivo de desligar sem motivo. Costas viradas para lágrimas guardadas.

Será que ainda dá tempo? Ainda é cedo para mudar? A minha inocência diz que nada é cedo quando o assunto é amor. Amor verdadeiro. E o seu orgulho? O que ele tem a dizer? 

Trecho retirado do livro: "E se fosse verdade?" 

"Você é um romântico incorrigível? Então leia este livro. Você acredita no amor? Então leia este livro. Você respondeu não para as duas perguntas anteriores? Então leia este livro do mesmo jeito. Uma série de contos que podem ter acontecido com qualquer um, em qualquer lugar do mundo, a qualquer dia ou podem nem ter acontecido. Histórias de semblantes que encontrei nas ruas, lágrimas que vi escondidas num canto do ônibus e sorrisos verdadeiros na padaria. Contos que vão tocar no coração de quem for corajoso o suficiente para deixar que isso aconteça, contos que vão te tirar sorrisos e lágrimas, contos que vão te conquistar."

Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.