Por que eu escrevo?



Conheço tanta gente que menospreza nós que escrevemos, acham que é apenas mais uma besteira de uma pessoa atoa e perdida. Bom, não estamos perdidas, apenas expressamos nossos sentimentos através da escrita por simplesmente não conseguir cuspir na cara de quem merece ouvir. Desculpe-me a grosseria, mas é verdade. Com o clichê de todos terem blogs, os verdadeiros acabam ficando um pouco de lado. O que mais encontramos são temas relacionados à beleza, moda, cuidado com os cabelos, corpos e conquistar o cara certo, mas peraí. Será que é realmente isso que importa? Será que o cara certo exatamente existe? A única certeza que eu tenho é: NÃO. O que você vai encontrar é alguém que te acrescente e não te completa, porque Deus te tez completa. Você não precisa de homens, amigas para estarem sempre ao seu lado, dizendo o quanto é incrível e de alguém para abrir a porta do carro em frente àquele restaurante chique que tem uma fonte com um cupido jorrando águas translúcidas. Você é inteira sozinha. 

Cadê os blogs, sites falando de amor e esperança? Mostrando que com poucas atitudes todos nós somos capazes de tornar esse planeta Terra num país digno de viver em completa paz. E não digo apenas de amor/relacionamento. Amor tem milhões de significados. Amor é cuidado, zelar por aquele que tem não condições de seguir em frente sozinho. Estar presente quando o mundo cai ao redor de quem você ama, mesmo que segurar as pilastras seja um ato insuficiente para saírem dessa sem arranhões. O importante é estar junto e dar valor a isso.

Aproveitando este clima natalino, onde todos nós somos tocados por sua mágica, vamos tirar um minuto do dia, nem que seja antes de deitar a cabeça no travesseiro e voltar à tona toda a sua retrospectiva. Lembrar dos erros, aceitos, surpresas feitas para quem você ama e até arrumar forças nas derrotas, para levantar cada vez mais forte e superar qualquer obstáculo. Porque, acredite, você é capaz! Todos nós somos capazes. Só não desista, por favor!

Vou contar para vocês o que me inspira a escrever e a seguir em frente, mesmo com tantos empecilhos e milhões de pessoas tentando empurrar-me para o fundo do poço:

"Escrevo para, pelo menos, tentar salvar alguma parte da minha vida. Escrevo com a intenção de colocar para fora toda essa fala reprimida, essa vontade de dizer inúmeras coisas e nunca conseguir.

Escrever é meu maior refúgio e minha maior proteção. Tranquiliza, esvazia e também me completa. Faz parte de mim, mostra quem eu sou, por mais que, no fundo, no fundo, eu não saiba nada sobre mim, meus sonhos, meus desejos e muito menos minha cor favorita.

O que eu escrevo, você já pode ter lido por aí sem saber que foi eu. Você já pode ter se perguntado: "Essa história é real?", só que, infelizmente, você nunca vai saber, porque qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência. Mas e se fosse verdade?

Eu não tenho controle sobre minhas palavras escritas, eu não tenho culpa delas se rasgarem dentro de mim para saírem. Elas simplesmente se vão, como lágrimas. Na verdade, minhas lágrimas são transformadas em palavras. E cada palavra escrita agora, foi uma que rolou."

Não desista, gente. Por favor! Tudo nessa vida tem solução, só precisamos de forças suficientes para chegarmos aonde desejamos e eu sei, tenho absoluta certeza que ela está bem aí dentro de você. Pegue um lápis, papel, caneta, computador. Coloque aquela música tranquila e deixe seus dedos fazerem o trabalho. Flui naturalmente. Prometo! 

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Melhor texto que já li! Incrível. Com 15 anos comecei a escrever algumas coisas com a ideia de um dia ser tornar um livro, mas hoje com 17 não tem nem 10% pronto. É difícil, viu? Mas eu sento em frente ao computador e isso me relaxa, as horas passam e nem percebo, mesmo que eu não escreva mais que algumas linhas, me sinto totalmente renovada e tranquila.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.