A culpa não é sua


Eu acho extremamente desafiador ser mulher neste século 21, sério mesmo. Muitos dizem que antigamente era pior, que as mulheres não tinham direito e nem voz perante à sociedade e em suas próprias casas. Pois bem, eu concordo. Mas, já parou para pensar na loucura que é saber utilizar toda essa crescente liberdade que, com um orgulho enorme, nós mulheres conquistamos?

Longe de mim querer reclamar do fato de termos o direito de votar, de trabalhar (fora de casa), de poder ser solteira se quiser, de querer ter filhos ou não, de querer tudo e também poder recusar esse tudo. Mas, enquanto nossas cabeças femininas vêm mudando positivamente e se libertando de amarras, uma parcela significativa dos nossos queridos homens ainda pensam como nossos avôs. Ou tataravôs. Porque tem muito avô cheio de pensamentos renovados por aí.

E, diante disso, surgem vários medos e culpas. Muitos mesmo. Vejo várias amigas preocupadas em ter ou não sua noite de amor (ou sexo mesmo) com um cara que conheceu há apenas um mês. Ou menos. Ou hoje. Eu mesma já me peguei questionando isso. Sabe, eu acho isso muito pessoal. Vai de acordo com a intimidade e a confiança adquirida com o cara. De você se sentir bem com essa escolha. De suas convicções. Mas, o que eu não concordo, é você se culpar.

Porque, acredite, muitos homens filtram suas “parceiras para namorar” através de atitudes como essa. Se foi logo, se demorou. E tudo o mais. Na boa, filtre esses caras. Filtre, elimine e ponha em uma lista do “nunca mais na vida quero vê-lo de novo”. Porque isso é feio, injusto e superficial.

Sabe quando ele começa a não te dar tanta moral assim, tanta atenção, tanto carinho como antes? E aí você conclui: “putz! não devia ter ido tão rápido... ele acha que sou fácil.” Não faça isso. Por favor, não faça isso nunca com você mesma. Porque o errado é ele. Ele que não é homem o bastante para saber respeitar suas decisões, que foram tomadas junto com ele. Ele que deve rever os conceitos e crescer. Não você.

Direitos iguais. Com suas ressalvas, em se tratando de relacionamentos, acho que homens e mulheres têm direitos iguais, apesar de terem essências diferentes. Se ele te julga por isso, deveria se lembrar que você também pode julgá-lo pelo mesmo motivo. E aí? Será que ele está preparado?

Quem decide sobre você e seu corpo, só pode ser você. Sua vontade deve ser respeitada sempre. E, como tudo na vida, isso acarretará riscos. Risco de “perder” aquele cara que você achou tão legal. Mas tudo bem. Ele não era tão legal assim. O legal é quando o seu parceiro topa suas loucuras, sua coragem. Ele olha e te enxerga além daquela noite. Sabe a mulher incrível que você é apenas pelo jeito que você fala. Acha fantástico você confiar tanto nele ao ponto de entregar sua intimidade, muitas vezes a alma. Toda sua essência de mulher. 

Quando é pra ser, você vai acordar no dia seguinte e ver que ele te mandou uma mensagem no WhatsApp elogiando cada minuto do que vocês viveram. Querendo que esses minutos se transformem em horas. E que as horas virem infinito. Vai por mim. A culpa não é sua.

Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.