Café: dicas de ouro


Hoje é o dia internacional do café, a bebida preferida dos brasileiros e a principal fonte de energia para muitas pessoas. Todo mundo já sabe e é muito notável o quanto sou apaixonada e viciada nessa bebida dos deuses. Não sei vocês, mas meu dia só começa depois de uma boa xícara de café para melhorar meu mal humor matinal e dar impulso aos estudos. Aqui em casa eu tenho o título de “Fazedora oficial de café” que é uma brincadeira com a minha mãe (que também ama), onde eu sou a pessoa escolhida para sempre fazer o café, já que ela diz ser um dos melhores, hahaha. Para honrar o título e ajuda-los a melhorar o seu café separei algumas dicas rápidas que vão desde a escolha (conilon ou arábica), o armazenamento do café e o processo de coar, que prometem mudar o sabor do seu café. 

O arábica vem da espécie Coffea arábica, com 1,2% de cafeína e de 6 a 9% de açúcares. Ele é mais usado em cafeterias, com um sabor e aroma suave, mais adocicado e maior acidez. Já o café conilon é da espécie Coffea canephora e possui quase o dobro de cafeína, com 2,2% e de 3 a 7% de açúcares. É mais usado para café solúveis, por ser mais barato já que seu tratamento não possui tanto cuidado no campo. É marcado por um aroma e sabor mais amargo. Eu prefiro o arábica e vocês?

Como guardar o café:

Café não apodrece, mas envelhece, isso é fato e com o passar do tempo ele vai perdendo o sabor e aroma. Para guardar da maneira certa, o conselho é colocar em um recipiente, de preferência uma lata e na geladeira. Isso mesmo, geladeira! Eu confesso que não sabia disso até ler no rótulo que ele deveria ser guardado na geladeira depois de aberto, isso tudo porque a oxidação dos grãos conservados em locais frios será mais lenta. Vale lembrar que a lata deve estar bem fechada, assim o café não absorve outros aromas da geladeira.

Combinações para o café:

Nós temos o costume de sempre associar o café com algum doce, sendo um pedaço de bolo quentinho da tarde ou um biscoito de leite o acompanhamento perfeito e sem erros. Quando você mistura alimentos doces com o café, o gosto mascara um pouco o sabor do café. O meu conselho é associar com um sabor salgado (queijo, por exemplo), porque ajuda a equilibrar o pequeno amargo do café sem esconder sua doçura, realçando o sabor e o corpo. Para mim, a combinação perfeita é café com coxinha, hahaha.

Eu sei que cada um tem sua mania de fazer café e não coloca a mão no meu jeito de fazer café, porque meu café, minhas regras, né? Mas vale a pena testar e colocar em prática cada uma dessas dicas:

- A água vai extrair tudo que tiver para passar no pó, então cuidado com a água que utiliza. Sempre use água filtrada e observe se ela tem muito cloro para não afetar o gosto e também sua saúde, né?

- Tem muita gente que usa água da torneira mesmo já que ela será fervida, mas você sabia que não é bom deixar a água ferver para passar o café? Já ouvi falar que água fervida queima o café, mas não achei nenhuma fonte que confirmasse isso. O que posso afirmar é que quando a água ferve ela perde o oxigênio, fazendo com que o sabor e o aroma do café se alterem. Nesse caso, o certo a se fazer é deixar a água aquecer, até formar aquelas bolhinhas, sabe?

- Não coloque açúcar na água! Isso muda completamente o sabor do café. Dê preferência para o seu real sabor e caso você seja como eu, uma pessoa viciada em café, cuidado com o excesso de açúcar, ok?

- Não tenha pressa em passar o café. Primeiro molhe a superfície do pó no filtro deixando úmido, depois disso mantenha a água no centro, dessa forma você evita que ele fique amargo.

- Mexer o café na hora que a água está passando pelo filtro faz o café perder o seu aroma!

- Não lave o coador com detergente, use apenas água quente, ok? O detergente costuma deixar alguns resíduos. A minha dica é utilizar filtros descartáveis.

- Café gostoso é café feito na hora, disso todo mundo sabe, né? Depois de vinte minutos o café começa o seu processo de oxidação e o prazo para toma-lo é até uma hora. Caso tenha sobrado muito “café dormido” você pode congelá-lo em forminhas de gelo e fazer uma receita de frapuccino que eu ensino aqui.

Produção de café no ES:

O café começou a ser plantado por aqui no início do século XIX, na região sul e centro serrana. Este início foi marcado pelo café arábico, mas com a crise no mercado de café na década de 60 a produção foi reduzida e passou a se concentrar na região montanhosa do estado. Logo após essa má fase, o café conilon foi introduzido com as primeiras sementes vindas de Cachoeiro do Itapemerim.

Gostou do post? Espero ter explicado direitinho para vocês tudo que eu sei e aprendi ao longo desses anos de vício. Qualquer dúvida ou caso queira acrescentar algo, comente aqui em baixo para conversarmos, ok? Ah, me siga no Instagram para acompanhar os meus cafés! @mariguimaraest e @1quartodecafe 

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Menina, eu não sabia que o café tinha que ser guardado na geladeira rs. Mas faz muito sentido mesmo.
    Já faz muito tempo (3 ou 4 anos) que não bebo café. Mas antes eu era viciada. Não era só uma xícara não. Era um copão, o maior que tivesse em casa, todas as manhãs, fins de tarde e antes de dormir.
    Esse hábito me causou muitos incômodos com o passar do tempo. Muitas dores de cabeça. Viciei e precisava me livrar do pobre café.
    Fui tirando aos poucos, até substituí-lo pela cevada.
    Hoje, não sinto vontade nem de sentir o cheiro do café.
    Outro dia ainda provei um pouco, pra não fazer desfeita na casa de um amigo mas, vixe, que diferença! Não acostumaria de novo.

    ResponderExcluir
  2. excelente http://www.espressocap.com.pt/

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.