Ainda pode ser vocês dois


– Você ainda gosta dela, né?
– Claro que não! Por que? Aliás, está tão óbvio assim?
Dá pra ver nesse seu olhar de cachorro perdido que você sente falta.
– Merda, eu viajo 300km para o meio do nada e ela ainda me acompanha.
– Ela está em cada parte de você, não percebe? Eu ainda não entendi por que esse afastamento repentino. Eu sei que nem sempre estavam juntos, mas quando eu o via com ela, parecia que nada mais importava para vocês.
– Cara, ela é complicada demais. Na mesma hora que queria meu ombro em todos os filmes que saíam no cinema, ela recuava dois passos e dizia que não podia mais. Eu tentei, sabe?
– E vai desistir tão fácil assim?
– Vou. Não vale a pena. Não vou morrer por isso.
– Tem certeza? Não é isso que seus olhos contam. Olha só, vou te contar uma coisa que aprendi com o meu avô.
– Lá vem você com essas histórias e lições.
– Uma vez o velho me disse que no quesito amor a vida nunca vai ser fácil. Bom, a vida já não é fácil, mas nessa parte é quase pior. Sério. Ele me disse que ficou um ano olhando a minha avó de longe, no portão da escola. A família dela era bem rígida, não deixava ela conversar com nenhum garoto e raramente se falavam. Ainda assim eles não desistiram, namoraram durante todo esse tempo pelo olhar. Ele teve paciência porque sabia que quando é amor de verdade realmente não seria fácil e que todo desgaste valeria a pena no final, quando estivessem finalmente juntos.
– E o que isso tem a ver com o que aconteceu comigo?
– Você fugiu. Ficou olhando ela pelo portão e virou as costas. Não teve coragem suficiente para quebrar essas grades que estavam entre vocês. Se ela recuava toda vez que as coisas ficavam boas era por puro medo, não percebeu? Tem gente que recua por não querer se machucar. Ela tava com medo de mergulhar e você ser raso demais.
– Tá. Não vou negar. Eu sinto falta. Sinto falta daquele abraço que dávamos pela manhã, dos olhos que me fitavam pelo corredor, confirmando que me encontraria no final da tarde. Sinto falta de ouvir aquela gargalhada quando eu dizia algo sem noção e de ver aquele breve sorriso tímido de uma menina que tinha tudo pra ser minha.
Saudade não é motivo suficiente para ter alguém de volta. Atitude sim.
– E o que você quer que eu faça? Eu falei com ela pra preparar um café e a vida e fui embora. Nessa altura ela deve estar chateada comigo e não irá querer me ver nem pintado de ouro. Não posso simplesmente bater na porta da casa dela e convidá-la para sair. É triste ver que todo aquele quase amor depositado não tenha sobrado para sacar.
– Pode. Claro que pode. Você vai voltar agora enquanto ainda há tempo. Não perca a chance de viver um sentimento assim, não é algo que a gente encontra na esquina. Logo você que no início de tudo me dizia ter encontrado a pessoa certa e afirmava com todas as letras que em breve poderia chama-la de sua. Faça alguma coisa por vocês. Tome a iniciativa. Volta lá, abraça ela
forte e não solta.
– O nosso abraço sempre significou mais do que só um abraço, cara. Era muito mais do que envolver os braços, nós dávamos nossas almas para se encontrarem.
– Então ela vai entender o que você quer dizer só com um abraço. Você precisa tentar antes de julgar se vai dar certo ou não. Não deixa ela ir embora sem saber o que você sente. Ainda pode ser vocês dois.

Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.