Mesmo com essa distância toda eu não fui embora


Você pode ler ouvindo: Never be alone (Shawn Mendes)

Não me olha com esses olhos cheio d'água, ao invés disso sorri pra mim, pra que eu possa partir com o coração aquecido pelo teu sorriso. Esse lance de despedidas não é pra gente, né? A gente gosta tanto de ficar perto que nem nos demos conta que o "distanciar" estava ali, batendo a porta. Nós mal conseguimos nos despedir no final da tarde de domingo, (quando nossos dedos demoram pra se separar mesmo sabendo que vamos nos ver, sei lá, na terça-feira), imagina agora que estou prestes a entrar nesse ônibus.

Minha mãe disse que são apenas quatro anos. Só quatro. Quando a gente menos espera tudo acaba e volta ao normal. Será que ela ficaria brava se eu contar que o que eu queria mesmo era largar tudo e te levar na mala? Você se importaria se eu te levasse? Pularia junto comigo nessa coisa maluca que eu não sei o que é?

Não é que eu tema o futuro, mas saber que ficaremos tão distantes me assusta. E muito, como aqueles filmes de terror que a gente fecha os olhos e reza pra acabar logo. Eu já disse que tu nunca ficará sozinho, mesmo com essa distância toda eu não fui embora. E não vou. O que são quilômetros de distância quando os corações são um do outro? Isso. Só são quilômetros de distância.

Eu te olho agora sabendo que a gente vai dar um jeitinho, que vamos dar o nosso jeito. Vamos morar na rodoviária se for possível, vamos nos encontrar sempre que der e conseguir. Não vamos apenas tentar, vamos fazer acontecer.

Cada um lida com a distância do jeito que pode, e o meu jeito vai ser o mesmo de sempre. Vou lotar sua conversa do WhatsApp com mensagens as três da manhã. Vou te ligar sempre que possível, e se um dia a distância falar mais alto, vou desembarcar no teu abraço e nele fazer morada. Vou te mostrar que meu coração tão cheio de indecisão tomou a decisão mais certa: acreditar nesse amor. Nas tantas curvas e estradas esburacadas, teu amor foi a única parada constante, foi o “segue todavia reto”, o sinal verde para coisas lindas.

Vamos mostrar pra quem quiser ver que nosso peito é para-raios de um amor que só cabe em mim e em você.  Que a distância é a ânsia de um encontro melhor que o último e saber que o próximo será ainda melhor. Vamos fazer da estrada uma guia, do aeroporto um amigo, do embarque/desembarque uma companhia, da saudade uma visita de parentes que sempre voltam e da distância abraços apertados com gosto de “até logo”.

Não ficaremos sozinhos, temos um ao outro e junto com o nosso “nós”, um amor que irradia entre as frestas da janela do ônibus. Temos a incerteza do futuro misturada com a certeza do nosso amor. Temos nós e isso basta, por enquanto. 

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Que coisa mais liiinda, Lala <3
    Seeeempre suspiro quando te leio!
    Sucesso sempre, lindona :*

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.