Sobre canecas e histórias

 
Camila colecionava canecas. Bem, na verdade eu sempre achei que elas não passavam de desculpas pra colecionar lembranças. Tinha uma que a sua irmã trouxe de um mochilão que fez pela América do Sul; outra que ganhou do namorado cheia de chocolates depois de uma briga boba; outra de porcelana branca que sua sobrinha de cinco anos "personalizou" (vulgo pintou de canetinha)... Enfim, eram duas prateleiras preenchidas de canecas de todos os tipos. Já estavam espremidinhas e Camila estudava um novo local para abrigá-las. Ai de quem chamasse os seus artigos de coleção de quinquilharias! Ah, esses compravam uma briga feia com Camila. 

A mania começou na adolescência. Quando Camila tinha só 13 anos, ganhou um singelo jogo de canecas de sua colega Eduarda. Era um amigo secreto de fim de ano na escola - um dos traumas colegiais de Camila. Como sempre todo mundo tinha ganhado um presente de valor superior. Inclusive Camila tinha presenteado seu amigo secreto com um dos livros do Harry Potter e uma réplica da varinha mágica. Foi, sem dúvida, um dos presentes mais cobiçados da sala. 

Eduarda comprou o jogo de duas canecas e deu pra Camila junto com uma bandeja de biscoitos de nata - receita que aprendeu com sua avó antes dela falecer. As canecas tinham um estilo retrô e eram de muito bom gosto. Camila não era muito próxima de Duda, mas depois da morte da avó dela, as duas conversavam com mais frequência e Camila a ajudava com as tarefas escolares, principalmente de história. Camila era aluna destaque em todas as matérias de humanas. Nas exatas? Bem, nessas ela passava raspaaando. Mas graças ao seu muito esforço, nunca ficou de recuperação. Camila entendia como era perder alguém próximo, pois quando tinha dez anos, sua mãe faleceu em um acidente de carro. Agora eram apenas ela e seu pai Leonardo. 

Quando Camila abriu o presente, achou fofo. Mas não conseguiu esconder sua expressão de desapontamento. Aliás, não só ela, mas como toda a turma. Deu um meio sorriso para Duda e a agradeceu gentilmente, mas sem empolgação. Quando chegou em casa, mostrou a lembrança para o seu pai com certo ar de decepção, que a repreendeu docemente por aquela atitude. Depois ele passou um café, se sentou a mesa com a filha e pegou a bandeja de biscoitos de nata. Os dois comeram sorrindo. Eram realmente divinos! Entre os biscoitos, seu Leonardo encontrou um bilhete embalado em um saquinho plástico transparente e entregou pra Camila. Curiosa como era, ela abriu na mesma hora e enquanto lia, seus olhos encheram d'água. Seu pai perguntou se ela poderia ler em voz alta (provavelmente foi dele que Camila herdou a curiosidade). Ela respirou fundo e fez com a cabeça que sim. 

"Ca, sei que nunca fomos muito próximas, mas sem saber você se tornou uma amiga. Bem, eu não tenho muitas amigas, quase nenhuma na verdade, mas acho que amizade tem a ver com isso: Querer fazer o bem do outro sem esperar nada em troca e ajudar quando todo mundo vira as costas. E você foi a única da sala que fez isso por mim. Fiquei tão feliz quando abri o papelzinho e vi que tinha tirado você! Eu fui criada pela minha avó e éramos muito apegadas. Quando ela se foi, eu nem tinha forças pra ir às aulas. Mas se estou concluindo o ano letivo hoje, devo muito a você. Sabia que eu odiava história, achava uma matéria inútil, e foi você que me fez gostar? Por isso estou te presenteando com esse jogo de canecas que ganhei da minha avó, eles fazem parte da minha história e tem muito valor pra mim. Minha vovó me ensinou que os momentos de refeição unem a família e fazem bem pro coração, por isso tentei reproduzir a receita dela (mas ninguém nunca vai saber fazer igual). Enfim, muito obrigada por tudo e até o próximo ano". 

Quando terminou de ler, Camila não segurou as lágrimas. Até seu pai que não era de chorar de muito, marejou os olhos. Duda não sabia, mas ela que tinha acabado de ensinar uma lição pra Camila. 

Quando as aulas voltaram no ano seguinte, Duda não estava mais lá. Tinha se mudado para o interior pra morar com o pai. Ela e Camila perderam contato, mas toda vez que Ca olhasse pra sua coleção de canecas iria lembrar de valorizar as coisas simples da vida. Se tudo passa, então por que não passar um café e chamar um amigo pra conversar num fim de tarde?

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Respostas
    1. Owwwwn! Obrigada pela leitura, irmã. E também por ter esse coração lindo e sensível <3

      Excluir

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.