Top 4: melhores filmes dos anos 90 com animais falantes


Se você é amante de filmes com animais fofíneos e falantes, pega logo o saco de pipoca e senta em frente ao seu computador, porque vou listar uns dos melhores filmes do ramo da década de 90. Sim! Os maravilhosos anos 90, onde muita gente aqui era criança e nem lembra mais das maravilhosas sessões da tarde. E se você nem tinha idade para ver filmes na época, não fique triste. Vem ler o texto e conhecer esses clássicos do mundo cinematográfico animal. Prometo que vai se amarrar!

Para começar, vou falar do filme que eu mais amo no mundo todo:

“Paulie – Um papagaio bom de papo”, lançado nos EUA em 1998, com direção de John Roberts. O filme conta a história de um papagaio que foi dado de presente a uma garotinha com dificuldades de dicção, Marie. Ele cresce com ela e aprende a falar, mas seu pai – um militar cabeça dura – resolve que Paulie deve ser banido da casa. A partir daí o papagaio falante e inteligente conhece várias pessoas, como o dono de uma casa de penhores, uma idosa que vive em um trailer, um cantor mexicano, um ladrão e, finalmente, vai parar em um instituto de pesquisa animal, onde acaba engaiolado e esquecido no porão. A história é narrada pelo próprio Paulie, que conta suas aventuras em busca de achar a Marie para Misha, um imigrante russo que trabalha como faxineiro no instituto. Prepare-se para rir e chorar com esse filme gostoso e leve, mas muito dinâmico! Assiste e me conta depois, tá?


Agora vamos falar de um clássico das telinhas. Senhoras e senhores, com vocês: “Beethoven – O Magnífico”!, lançado nos EUA em 1992, com direção de Brian Levant. Esse filme eu considero o precursor de “Marley & Eu”. Conta as aventuras de um cão da raça São Bernardo que é sequestrado junto a outros cães de uma loja de animais e acaba indo parar na casa da família Newton. Todos se apaixonam pelo dog e resolvem ficar com ele.

Beethoven apronta todas na casa e deixa o pai, George, desesperado, enquanto as três crianças adoram sua presença. O grandalhão acaba indo ao veterinário e é novamente sequestrado para fins de experimentação ilegal. Entre meias roídas, churrascos arruinados e muitas cenas fofas com a garotinha mais nova da casa e o São Bernardo, esse filme é digno de ser visto por todos nós! Ele fez tanto sucesso na época que ganhou um sequência para cinema, três (!!!) sequências para vídeo cassete (old but gold) e dois spin-offs, “Corrida para a fama” e “Aventura de Natal”, além de uma série animada de tv. Não precisa ver todos, mas assista ao primeiro, vale a pena conhecer. Te convenci?


Falando em clássicos, quem aqui já assistiu ao simpático porquinho cor de rosa falante que salva a fazenda dos seus donos e sabe pastorear ovelhas? Isso mesmo, estou falando de “Babe – O porquinho atrapalhado”, lançado em 1995 na Austrália e nos EUA, dirigido por Chris Noonan. Cara, eu amo porquinhos! Então sou suspeita para falar desse filme, mas vamos lá. Eu acho que você deveria assistir porque a) porquinhos são fofos, b) tem um pato no filme que pensa ser um galo (oi?) e c) Babe é o primeiro filme do gênero comédia infantil a ter como protagonista principal um porco. O filme tem uma sequência, “Babe – o porquinho atrapalhado na cidade” que eu gosto mais ainda. Vale a pena assistir? Vale e muito! Me fala depois se você não ficou com vontade de ter um pig desses.


Para finalizar, vamos falar do rei dos filmes de cachorros falantes, “101 dálmatas”, lançado em 1996 nos EUA e dirigido por Stephen Herek. Para começar, curiosidade para os fãs (like a me) da série “Doctor House”: o ator Hugh Laurie interpretou um dos ajudantes de Cruella de Vil, a vilã do filme. Sim! Todo início é um início, né mores? Mas vamos lá. O filme é baseado em uma versão animada lançada em 1961, que ganhou versão dublada para Português apenas em 1995. Roger, um músico dono do dálmata Pongo se apaixona pela dona da cadelinha Prenda, a estilista Anita.

Como todo bom filme da Disney, eles se casam e o casal de cães também (e eu aqui pra titia, mas tudo bem). A questão central do filme é que a chefe de Anita, a mulher do cabelo black and white, Cruella de Vil (Cruela cruel, Cruela cruel, é mais traiçoeira que uma cascavel.. tá parei) quer comprar todos os filhotes que os cães tiveram. Negócio não fechado, ela parte para a ação: raptar todos os puppies para fazer seu tão sonhado casaco de pele. O filme é bem gostoso de ver pelos cachorríneos que são lindos e por ser um dos clássicos da Disney. Ah! Não deixe de assistir à sequência, “102 Dálmatas”. Uma das filhotes protagonistas é uma dálmata que não tem pintinhas.


Para quem está saindo dos 20 e poucos como eu, esses filmes são partes da nossa infância. Fomos ao cinema ver com nossas tias e primos, passamos várias tardes em frente à tv enrolados no cobertor assistindo e aprendemos muitas lições de vida. Gosta de animais? Curte produções antigas? Então vai adorar essas dicas. Corre que a pipoca vai queimar no micro-ondas e bom filme. Até mais!

Conheça meu blog.

Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.