Detalhes não pequenos de nós dois


Você pode ler esse texto esse escutando 3x4 dos Engenheiros do Hawai

São quatro da tarde em ponto. Sei que daqui há três horas exatas, depois do meu expediente, irei te ver no nosso cantinho de sempre. Não importa o que aconteça, você estará lá. Sim, naquele mesmo cantinho que você me pediu em namoro a primeira vez e insiste em dizer que eu recusei -e eu insisto em dizer que não foi bem assim, mas essa é uma história longa, vamos deixar para um próximo café. Agora eu quero falar do lugarzinho que adotamos pra ser nosso sem nem perceber.

É até engraçado como uma mesa dentro de uma lanchonete fast-food -um ambiente tão corrido e até impessoal- pode me trazer tamanha calmaria. É aquela sensação de paz em meio ao caos perfeitamente ilustrada numa praça de alimentação de shopping center, sabe? 

Quando vejo você ali me esperando sair do trabalho, com aquela camiseta cinza que te dei com estampa do batman, tudo ganha luz. Outra contradição engraçada do amor: mesmo vestido com a blusa de cavaleiro das trevas, você consegue me iluminar com esse sorriso!  

Acho engraçado como a rotina é temida por muitos, porque particularmente eu amo a nossa. A gente não deixa de se surpreender por estar inserido em uma. O amor, por si só, já surpreende a gente. Eu fico feito criança boba quando você vai ao mercado e traz um kit kat pra me arrancar um sorriso. Não importa quantas vezes você faça isso, eu sempre vou reagir assim. Eu adoro quando a gente vai tomar açaí toda vez no mesmo lugar (nem precisamos fazer o pedido porque já sabem exatamente como gostamos), mas também amo descobrir uma pizzaria nova por acaso no caminho do ponto de ônibus.

Gosto até da nossa demora clássica pra escolher o que vamos assistir na netflix. Talvez a gente fique mais tempo escolhendo do que assistindo de fato. Você sabe que quase sempre eu vou querer ver F.R. I. E. N. D.S ou How I Meet Your Mother, e eu sei que você vai querer maratonar Star Wars. Mas ainda mais gostoso que estimular o outro a assistir nossos filmes e séries preferidos, é a sensação de descobrir um seriado novo pra assistir junto. Aproveito pra pedir desculpas por todas as vezes que dormi no meio dos episódios, tá? 

Lembro da primeira vez que fomos ao cinema. Ainda não namorávamos e nem sabíamos que esse seria um dos programas da nossa rotina. Foi pra ver um filme de super herói, claro. Talvez eu nunca tenha te dito, mas confesso que não curti muito Batman X Superman. Ah... se você soubesse o tanto de super poderes que você tem! Mais que todos eles juntos! Você transforma meus dias ruins em maravilhosos com um simples "Eu te amo" no meio de uma conversa sobre sei-lá-o-quê. Tipo o que vamos cozinhar no próximo final de semana, por exemplo.

Falando em cozinhar, eu amo aquele contra filé que você faz na grelha pra gente comer com meu macarrão alho e óleo, sabia? Troco fácil qualquer hambúrguer gourmet pelo gostinho de amor que tem nos nossos jantarzinhos a dois. Logo eu que nunca fui muito fã de cozinhar, vivo procurando receitas na internet. Quantas sobremesas tem salvas nos nossos favoritos? Provavelmente o suficiente pra uma vida inteira. Até a gente ficar velhinho e virarmos os "tios do pavê" da vez.

Eu amo os nossos planos pro futuro. As nossas longas conversas sobre as viagens que queremos fazer ao redor do mundo, os festivais que queremos ir, as lutas que queremos assistir e também quando sem perceber, já estamos combinando a cor do tapete da sala e os quadros que vamos querer espalhar pela casa. Obrigada por esses diálogos cheios de sonho. Tento tanta coisa pra te agradecer! Obrigada por me apresentar sua banda preferida e também por ouvir as bandas esquisitas que eu gosto. Obrigada pelos nossos detalhes, pelas nossas piadas internas, pelas guerras de cócegas e também pelas lágrimas que derramamos juntos. Obrigada por estar aí, exatamente aonde você está nesse momento lendo esse texto.

Tenho que te confessar que toda vez que te vejo, meu coração ainda acelera como se fosse a primeira vez. Eu nunca tinha sentido isso antes por ninguém, sabia? Essa ansiedade gostosa pra estar logo junto, essa vontade de apressar as horas e correr pra receber o seu abraço. Eu nem sequer sabia que essa sensação podia se prolongar por tanto tempo. Pensei que era algo que ficava sempre no famoso fogo de palha, mas dessa vez não. Não mesmo! Tanto é que estou aqui, escrevendo no meu bloco de notas e olhando o relógio. Literalmente contando os minutos pra olhar nos seus olhos pequeninos que gosto tanto e segurar em tuas mãos. Elas foram uma das primeiras coisas que notei em ti, no nosso primeiro encontro. Lembra?

Sabe aquela frase: "Que a felicidade vire rotina"? O que eu desejo é justamente o oposto. Desejo que a rotina seja a nossa felicidade. Como o pedido de namoro que foi feito em um cantinho num shopping center depois de um dia comum de trabalho, que a gente sempre ache a beleza no nosso cotidiano. E o que era pra ser comum se torne incrível só por estarmos juntos. Que a gente sempre lembre um do outro na fila do supermercado, ou em um post aleatório de bichinho fofo. Que façamos a nossa rotina gostosa, e que nunca esqueçamos de agradecer pela sorte bonita de ter um ao outro nos dias bons e ruins. Que além do amor, da paixão, da força de vontade, da tolerância, do respeito, não nos falte a leveza. Que a gente viva a sorte de um amor tranquilo. E só pra não perder o costume, caso eu ainda não tenha dito ainda hoje: Eu amo amar você, meu menino. 


Esse post faz parte da nossa Semana especial para o Dia dos Namorados. Leia todos aqui.  



Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.