Auto sabotagem

 

Que tal clicar e ouvir Wish That You Were Here - Florence enquanto lê o texto? ♥


Na sétima série fui chamada para ser a atriz principal de uma peça que eu amava, eu sabia todas as falas, acompanhava todas as peças da escola e realmente me sentia preparada para o teatro, mas não aceitei o convite, eu disse que não queria fazer a peça.

Não porque não me sentia apta ao papel ou por ter vergonha de estar em público, nada disso, é que eu estava desde cedo me auto sabotando, sabe? Deixando de fazer coisas porque poderia ser que desse errado, ou pior, poderia ser que desse muito certo e eu não saberia lidar com isso. Então, eu fugia. Eu não aceitava qualquer chance de um possível crescimento, de um possível sucesso. Eu dizia não e ia me esconder. Aí eu cresci assim, destruindo antes mesmo de existir qualquer chance que poderia ser legal pra mim.

Doido né? Só fui parar pra analisar isso há algumas semanas, quando tive uma grande oportunidade de crescimento, uma oportunidade que me foi meio que empurrada de poder fazer com que meu trabalho alcançasse mais pessoas. Entrei em pânico, tive crise de ansiedade, sentia meu coração palpitar, como se todo o ar dentro dos meus pulmões tivesse sumido. Foi então que eu percebi que desde a adolescência eu não sei lidar com duas coisas: fracasso e sucesso.

Me arrisco a dizer que para mim o sucesso é ainda pior. Porque o fracasso, estamos acostumados com ele, estamos acostumados a ir mal numa entrevista de emprego ou tirar uma nota ruim na prova, por pior que seja, estamos acostumados a ver as coisas não dando certo. Mas o sucesso, ah, o sucesso é assustador. O que eu faço se eu me apresentar na peça da escola e ir muito mal, esquecer falas, cair do palco, rasgar meu vestido e ficar desnuda na frente de todos, o que faço se der errado? Eu choro, eu sofro um pouquinho, esqueço a possível carreira teatral e segue o baile. Mas e se der certo? E se a peça for um sucesso, e se todos gostarem e quiserem que eu faça outras? Crise de pânico, ar rarefeito, palpitação. Só de imaginar que eu posso ir bem em algo e nas expectativas que geraria sobre mim, eu surto.

Então de lá pra cá tenho sabotado o que pode dar certo pra mim. Por que é absurda a ideia de que há vida após o sucesso, quando penso nisso só aparece um borrão escuro e frio na minha mente, como se depois que eu conquistasse algo eu não saberia fazer mais nada, não saberia continuar o que eu conquistei até ali. Quantas vezes fazemos isso, quantas vezes fugimos de algo por medo do que virá depois, com medo de falhar feio ou de brilhar mais do que deveria. Quantas vezes deixamos de aceitar um convite pro café ou para um cargo acima no emprego, quantas vezes dizemos não porque pensamos que o sim trará expectativas demasiadas e você não está pronta pra lidar com elas.

Quero te pedir um favor, não tenha tanto medo de falhar ou de fazer sucesso. Não crie tantas barreiras entre o você de hoje e o você de daqui há cinco anos. Não sabemos o que vai acontecer se dissermos “sim”, mas sabemos o que vai acontecer se dissermos “não”, só continuaremos parados no mesmo lugar, se permita se movimentar um pouquinho. Se você continuar seguindo os mesmos padrões, quais são as chances de vir a alcançar as coisas que você quer e se tornar a pessoa que espera ser?

Talvez você falhe e precise realinhar o trem nos trilhos, talvez você vá muito bem e depois veja que não quer mais seguir aquele caminho, as duas opções são totalmente compreensíveis e você sobreviverá a elas. O caminho é seu, você decide se quer fazê-lo em linha reta ou em zigue zague, só não continue parado por medo das consequências que seu movimento terá.



Você pode gostar também

0 comentários

Deixe sua opinião! Amamos entrar em contato com vocês.